ESGRIMA

ESGRIMA



 
A esgrima é uma das mais antigas formas de luta. O primeiro registro de uma espada foi encontrado no túmulo do Rei Sargão, o primeiro governante de Acade, na Mesopotâmia. Entre 2.334 e 2.279 a.C., Sargão governou os acadianos, que aperfeiçoaram a arte militar com armamentos leves. Os chineses e os egípcios também usaram espadas.

Brasão da Corporação Marxbruder
Mas a luta só se tornou prática esportiva na Idade Média. Com a popularização das armas de fogo o uso da espada caiu, mas se manteve vivo nas cortes dos nobres europeus. Em 1471, as primeiras técnicas de esgrima estavam sendo desenvolvidas na Espanha. O espanhol Sierge de Valera escreve nessa época um pioneiro manual de esgrima. Os italianos desenvolveram o uso do florete e popularizaram pela Europa, em 1500, o duelo de espadas. Em 1521, a Corporação Marxbruder, sediada em Frankfurt, na Alemanha, recebia suas primeiras armas do rei Charles V para formar uma das primeiras escolas de esgrimistas da Europa. Conta-se que cerca de oito mil homens morreram entre em duelos na França entre 1588 e 1608.
A esgrima só se torna esporte de competição em 1874, com o surgimento da primeira escola americana de esgrima, fundada por mestres franceses e italianos que migraram para o Novo Mundo. A Associação dos Esgrimistas Amadores da América patrocinava e incentivava competições por todo o território dos EUA com o objetivo de difundir a modalidade.
Olimpíada
A esgrima fez parte do programa da primeira edição dos Jogos Olímpicos em Atenas, 1896, nas categorias florete e sabre. A espada entrou no programa dos Jogos de Paris, em 1900. Treze anos depois foi fundada a Féderation Internationale d'Escrime (FIE), que regulamenta o esporte e permite a participação de mulheres nas competições dos Jogos de 1924, no florete.
Durante anos os franceses e Italianos dominaram as medalhas de ouro do esporte nos Jogos Olímpicos, mas a partir da década de 50 os países do Leste europeu tomam o poder. Romenos, poloneses e soviéticos ficam entre os melhores do mundo.

Segurança



Vladimir Smirnov, morto em combate
Apesar da máscara ter sido inventada em 1780 pelo francês La Boessiere, até 1980 os equipamentos de proteção do esgrimista ainda eram precários. A FIE só se tornou rigorosa com roupas, luvas, máscaras e sapatos em 1982, com a morte em combate de um competidor. O soviético Vladimir Smirnov, medalha de ouro nos Jogos de Moscou, morreu quando a espada de seu adversário atravessou sua máscara.








ESGRIMA - REGRAS 1
O objetivo é tocar o adversário sem ser tocado, utilizando, para isso, uma série de golpes. As armas usadas em combate são a espada, o florete e o sabre, feitas em material flexível e aneladas eletronicamente para que a máquina marque os pontos.
O combate começa com os lutadores a uma distância de dois metros um do outro e só termina quando um dos esgrimistas dá cinco toques em seu oponente ou quando se passarem quatro minutos jogados. Na fase eliminatória, um assalto vai até 15 toques ou nove minutos com intervalos de 1 minuto a cada três minutos jogados.
Antigamente não existiam sensores eletrônicos para marcar os golpes e os pontos, por isso o esgrimista gritava touché! (toquei!) para dizer que tinham acertado o adversário. O uso das roupas brancas tem o mesmo motivo: as armas eram mergulhadas em tintas para os golpes ficarem registrados na roupa e facilitar o trabalho dos juízes.
Os atletas usam para sua proteção máscara com uma malha feita em aço inoxidável, luva de couro, que reveste a mão e o antebraço, colete de cânhamo ou náilon, usado sob a jaqueta para defender o tórax.





ESGRIMA - REGRAS 2
O esporte é dividido em três categorias de acordo com as armas: espada, florete e sabre. Além de serem distintas em seus desenhos, há pequenas diferenças principalmente com relação à pontuação. No florete só vale tocar a ponta da arma no tronco do adversário. Na espada, vale tocar com a ponta em qualquer parte do corpo. No sabre pode-se tocar com a ponta, o corte ou contra-corte da lâmina da arma. O esgrimista deve tentar atingir o adversário da cintura para cima.
O florete é utilizado por homens e mulheres. Pesa, no máximo, 500g e tem até 1,10 m de extensão. A lâmina, de aço, pode chegar a 90 cm. A espada, também utilizada nas categorias masculina e feminina, pesa até 770g e tem as mesmas medidas do florete. O sabre é a menor das três armas, utilizada somente por homens. Mede até 1,05 m e pesa menos de 500g.





ESGRIMA - REGRAS 3s
PISTA DE COMABATE
A pista de combate é metálica, condutora de eletricidade, com pequenos orifícios para evitar escorregões. Mede 14 m de extensão com uma largura que varia entre 1,80 m e 2 m. Uma linha central divide essa área. Na ponta de cada um dos lados há um espaço com 1,50 m a 2 m, no qual o esgrimista atacado não pode penetrar, sob pena de ser considerado tocado pelo adversário. Cada toque da espada no colete metálico do adversário é registrado eletronicamente em um placar com luzes coloridas.
PONTUAÇÃO
A espada e o florete vêm equipados com um sensor na ponta da arma. O do sabre fica dentro do corpo. Quando um esgrimista toca o outro, o sensor faz aparecer uma luz no aparelho de sinalização, que fica numa mesa entre a pista e o árbitro. Os pontos são contados de 1 em 1. Na etapa classificatória, ganha o esgrimista que der 5 toques ou passar 4 minutos sem ser tocado. Na etapa eliminatória, o número de toques sobe para 15 e o tempo passa para 9 minutos.O ganhador é o primeiro a marcar 15 pontos (toques) no adversário ou quem fizer mais pontos após três roundes (cada um deles dura três minutos, com um de descanso entre eles). No caso de equipes, ganha o time que completar 45 pontos primeiro. Caso continue empatado, o confronto ganha mais um minuto.






ESGRIMA - REGRAS 4
A esgrima exige abstração, reflexão e decisão rápida. Quando os esgrimistas se postam em guarda para o combate, uma série de 12 mil combinações de golpes e contragolpes podem ser alcançadas. São cinco os golpes básicos:
  • Balestra: salto curto em direção ao adversário
  • Estocada: golpe com a ponta da arma
  • Flecha: corrida curta e rápida sobre o adversário
  • Reprise: golpe à frente, depois de o lutador estender a perna dianteira
  • Resposta: ofensiva após um bloqueio de ataque adversário
No florete e no sabre, existe o chamado "direito de passagem". Quem começa atacando tem prioridade de tentar o toque. Se errar o ataque ou se o adversário conseguir se defender, a vantagem passa para o adversário..

1 Comment:

  1. Anônimo said...
    Os aparelhos da Precor são de primeira linha http://www.gymcorp.com.br

Post a Comment