NADO SINCRONIZADO

NADO SINCRONIZADO



 

Com origem no balé aquático, essa modalidade mistura técnicas de dança e de natação, utilizando todas as articulações combinando força e graça. Essa prática surgiu na Inglaterra, por volta do século XIX, segundo a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA).

Sua estréia olímpica oficial aconteceu em Angeles, em 1984, nas categorias dueto e equipe. No entanto, já se apresentado nos Jogos de 1948 até 1968 como esporte de exibição.

Na década de 40, o esporte acabou se popularizando quando a atleta Esther Williams assinou um contrato com o estúdio de cinema MGM para fazer aparições dentro da água em filmes, como o Million Dollar Mermaid. 





NADO SINCRONIZADO - REGRAS 1
O nado sincronizado acontece em duplas ou em equipe. Os três principais requisitos são execução, sincronia e dificuldade, além da criatividade. Quanto mais inovações, maior pontuação as nadadoras conquistam.

Nos Jogos Olímpicos a piscina, onde acontece a demonstração, deve ter 3 metros de profundidade de a largura de no mínimo 20 x 30 m. A água tem de estar a uma temperatura de 26 graus. As competições são divididas em duas partes. Na primeira, as atletas realizam individualmente movimentos pré-determinados pela regra para uma banca composta por 5 ou 7 juízes. A figura é formada pelo conjunto de posições e movimentos básicos. Nessa parte, são observados o controle da atleta (altura, técnica e suavidade nos movimentos e transições) e seu desenho (ângulos e posições do corpo).

Na segunda, são realizadas coreografias divididas em três modalidades: solo, dueto e equipe (que é formada de no mínimo quatro e no máximo de oito atletas). As atletas interpretam um tema musical buscando criatividade, variedade e sincronismo com a música. São avaliadas a sincronia dos atletas entre si e a plena utilização da piscina.





NADO SINCRONIZADO - REGRAS 2





NADO SINCRONIZADO - REGRAS 3
 




NADO SINCRONIZADO - REGRAS 4
 




NADO SINCRONIZADO - REGRAS 4
 











0 Comments:

Post a Comment